Não aponte erros, mas a solução

 Não aponte erros, mas a solução
Compartilhar
Pub - Inferior notícias

Por que muitos se equivocam ao enfrentar os problemas?

Certamente, se perguntarmos para dez pessoas se elas querem ter sucesso na carreira, no relacionamento ou na vida de modo geral, a resposta de todas será afirmativa. Mas, provavelmente, se questionarmos, em seguida, quem está disposto a se esforçar ao máximo para chegar a esse resultado, as respostas talvez não sejam unânimes. Isso porque as pessoas não estão dispostas a pagar o preço exigido para atingir o sucesso e querem que ele caia do céu como um presente Divino.

Mas não é assim que funciona. Para alcançá-lo no trabalho, por exemplo, infelizmente, serão necessárias doses de sacrifício e improviso, estômago para engolir sapos, preparo profissional, atenção para aproveitar as oportunidades e visão para enxergar no que vale a pena investir. É preciso compreender também que o sucesso é uma prova de superação de obstáculos quase contínua. Para alguns, ela é longa; para outros é curta, mas se trata sempre de vencer dificuldades.

No trabalho parece que essas adversidades se intensificam como por encanto. Mesmo quando tudo parece que está sendo bem encaminhado, aparecem os problemas para testar a paz do trabalhador. Nessas situações há diversas reações: uma delas é se omitir completamente e fingir que não se trata de algo que você tenha que resolver, mas, muitas vezes, a bomba cai no seu colo. E agora
como desarmá-la?

O escritor e palestrante Renato Cardoso já abordou o tema em vídeo e perguntou: “quero falar com você que deseja ter muito sucesso no trabalho. Você vê muitas coisas erradas ou coisas que poderiam ser diferentes? Você não concorda com decisões dos seus superiores ou acha que eles são omissos, injustos e que não fazem o que deveria ser feito? Eu tenho uma pergunta: você é o problema ou a solução?”

Para ele, uma parcela dos trabalhadores está bastante enganada em relação ao papel que devem desempenhar quando são contratados e como agir diante das dificuldades diárias. “Muitas pessoas pensam que o trabalho delas é levar ao chefe tudo o que encontram de errado ou o que acham que deveria ser diferente. Elas não entendem que não foram contratadas para identificar problemas, mas para resolvê-los.”

Nesse contexto surgem os equivocados, os oportunistas, os fofoqueiros, mas também há espaço para aqueles que apresentam soluções.

Alguns podem dizer que não possuem um perfil solucionador de problemas, mas, em boa parte das situações, não tem jeito, é você que terá que resolver o pepino ou descascar o abacaxi – e esse pode ser o momento para você começar a catapultar seu sucesso.

Nem sempre você vai acertar de primeira, mas não pode ser furtar a não tentar. Talvez seja preciso seguir alguns passos, como tentar entender a situação, depois avaliar se pode ajudar e como fazer isso. Se não puder resolver, busque ajuda, pois isso não é vergonha para ninguém.

Aliás, é melhor buscar colaboração e encontrar a solução do que passar por incompetente ou omisso. Pode ser que a pessoa que tenha autoridade para solucionar a questão não saiba de que forma resolver o problema. Nesse caso, você pode dar sua sugestão. Não esqueça que sua atitude não deve concorrer para aumentar o problema. Por isso, esqueça as críticas aos colegas ou aos chefes e foque sempre na solução.

Todos os comentários são de responsabilidade dos seus autores.