Lewis Hamilton diz que 2020 tem sido uma “jornada solitária” devido ao medo do coronavírus

 Lewis Hamilton diz que 2020 tem sido uma “jornada solitária” devido ao medo do coronavírus
Compartilhar

Hexacampeão e líder da atual temporada tem passado o tempo entre as corridas em seu motorhome e não tem viajado para os Estados Unidos, algo que vinha fazendo nos últimos anos

Hexacampeão mundial de Fórmula 1, Lewis Hamilton disse que sua temporada 2020 tem sido uma “jornada solitária” na tentativa de evitar quaisquer riscos de ser contaminado com o coronavírus. O piloto da Mercedes, que normalmente usa o intervalo entre as corridas na Europa para viajar e atender a compromissos que vão desde desfiles de moda até a turismo, desta vez está numa própria bolha, com contato muito limitado com outras pessoas.

Na maior parte do tempo, o inglês tem estado em seu motorhome na Europa, com o cachorro Roscoe e a preparadora Angela Cullen. O hexacampeão tem postado imagens nas redes sociais andando de barco e acampando com seu cão.

+ Classificação da temporada
+ Jogue o game “Ases das Pistas”

Lewis Hamilton tem passado o tempo com seu cachorro Roscoe — Foto: Reprodução/rede social

Lewis Hamilton tem passado o tempo com seu cachorro Roscoe — Foto: Reprodução/rede social

– Penso que é definitivamente um desafio. Obviamente, todos estão no mesmo barco. Provavelmente a jornada de um piloto de F1 lutando por um campeonato, muitas vezes pode parecer uma jornada solitária. Isso foi ampliado meste ano, obviamente por ter que limitar as pessoas que estão em sua bolha e, claro, se movimentar – disse Hamilton, que, não raro, costuma viajar aos Estados Unidos entre as corridas.

Hamilton admitiu que vem sendo difícil para ele ficar longe dos amigos em meio à pandemia de Covid-19, mas que este é um esforço necessário não só para ele, como para todo o planeta. O líder do campeonato deste ano acredita que no fim de 2020 poderá começar a retomar o contato com suas pessoas mais próximas, inclusive familiares:

– Eu não sei, é difícil colocar as palavras juntas. Mas todo mundo está fazendo isso, eu acho. É um verdadeiro desafio, e um verdadeiro teste mental para mim pessoalmente. Não sei como é para vocês, talvez você está vendo suas famílias e outras coisas, mas eu não estou. Mas, como você pode ver, estou focado e motivado como sempre, e é uma maratona, não um sprint. Então, eu apenas mantenho minha cabeça baixa. Eu sei que vou me divertir um pouco mais no fim do ano, quando nada está particularmente em risco, e eu espero poder estar com a família então.

Lewis Hamilton, da Mercedes, após vencer no GP da Espanha  — Foto: Albert Gea/Pool via Getty Images

Lewis Hamilton, da Mercedes, após vencer no GP da Espanha — Foto: Albert Gea/Pool via Getty Images

A Fórmula 1 tem adotado protocolos rígidos de segurança para evitar o contágio de coronavírus entre os envolvidos com a categoria. Até agora, apenas dois credenciados para o GP da Hungria que não tinham estado nas duas corridas em Spielberg, na Áustria, e o piloto Sergio Pérez, da Racing Point, tiveram testes positivos e foram impedidos de estarem nos paddocks – todos estão recuperados, e o mexicano, que ficou duas corridas fora, já voltou a pilotar.

Até agora, o campeonato teve seis corridas, e a F1 parte para mais três fins de semana consecutivos de provas, com os GPs da Bélgica (Spa-Francorchamps), Itália (Monza) e Mugello (Toscana). Com quatro vitórias em seis corridas, Hamilton lidera a classificação geral com 37 pontos de vantagem para Max Verstappen (RBR). Na última prova, na Espanha, o inglês quebrou o recorde de pódios que pertencia a Michael Schumacher e, com a 88ª vitória, ficou a apenas três de igualar a marca histórica do alemão na F1.

Por Redação ge

Todos os comentários são de responsabilidade dos seus autores.