Frente parlamentar acompanhará desdobramentos da CPI da Covid

 Frente parlamentar acompanhará desdobramentos da CPI da Covid
Compartilhar

Objetivo é dar encaminhamento e cobrar das autoridades providências sobre as recomendações do relatório final 

A Comissão Parlamentar de Inquérito (CPI) da Covid-19 se aproxima da conclusão dos trabalhos, mas os senadores vão continuar a acompanhar seus desdobramentos depois da entrega do relatório final com a criação da ‘Frente Parlamentar Observatório da Pandemia de Covid-19’. A inciativa tem por objetivo cobrar providências das autoridades sobre as recomendações do relatório da comissão e servir como um canal permanente de denúncias, além de conduzir novas investigações no âmbito do enfrentamento à pandemia. 

A ideia da criação de um observatório da pandemia foi da senadora Zenaide Maia (Pros-RN). Segundo ela, “é preciso cobrar providências das autoridades sobre as recomendações do relatório final da CPI da Covid, para que ninguém se esqueça do que aconteceu com os brasileiros nessa pandemia; Para que os responsáveis sejam efetivamente punidos; E para que nunca mais esse morticínio aconteça”. 

A leitura do relatório final está marcada para o dia 19, enquanto a votação deve ocorrer já no dia segunite (20/10). E mesmo após o encerrameto dos trabalhos da CPI, os senadores querem a realização de reuniões regulares nas dependências do Senado que constem inclusive em suas agendas oficiais. Com a aprovação do relatório da CPI, os senadores darão seguimento aos desdobramentos. Em 21 de outubro, os parlamentares encaminharão o relatório à Procuradoria-Geral da República (PGR).

Bolsonaro deve ser indiciado

O presidente  Jair Bolsonaro, deve ser alvo de indiciamento por 11 crimes, incluindo o de responsabilidade, contra a saúde pública e contra a humanidade.  “Na sequência, no dia 26 de outubro, estaremos com [Arthur Lira] o presidente da Câmara dos Deputados se for confirmado e tudo indica que será, a ocorrência de crime de responsabilidade”, detalhou o vice-presidente da CPI, senador Randolfe Rodrigues (Rede-AP). O senador disse também que “outros alvos da CPI que possuem foro privilegiado também terão os indiciamentos direcionados à Procuradoria da República do Distrito Federal”. 

Além de acompanhar os indiciamentos da CPI, a frente irá acompanhar outras investigações de escândalos e irregularidades no enfrentamento à Covid. Uma das ações, segundo Randolfe, é a entrega dos trabalhos produzidos à força-tarefa do Ministério Público de São Paulo que investiga a operadora de saúde Prevent Senior. “Não pode tanto trabalho feito simplesmente ser desperdiçado, sem consequência. A memória de 600 mil brasileiros exige e cobra de nós providências e nós as cumpriremos”, justificou Randolfe. 

Todos os comentários são de responsabilidade dos seus autores.