Bolsonaro diz que Brasil enfrenta crise hídrica com ‘planejamento’

 Bolsonaro diz que Brasil enfrenta crise hídrica com ‘planejamento’
Compartilhar

Presidente participou de painel da ONU focado em energia e defendeu matriz energética do país.

O presidente Jair Bolsonaro afirmou nesta sexta-feira (24) que o Brasil enfrenta a maior crise hídrica “dos últimos 91 anos” com “planejamento, seriedade e transparência”.

“São tarefas enormes que o mundo tem pela frente: aprofundar a descarbonização nos transportes; ampliar a geração de energia para as nossas necessidades de desenvolvimento; ou ainda lidar com os desafios climáticos, de que é exemplo a atual escassez hídrica no Brasil, que estamos enfrentando com planejamento, seriedade e transparência”, afirmou.

Bolsonaro deu a declaração em um vídeo gravado e enviado à Organização das Nações Unidas (ONU) que foi exibido durante o Diálogo de Alto Nível sobre Energia.

O evento da ONU sobre energia foi convocado pelo secretário-geral da entidade, António Guterres. É a primeira vez que os líderes se juntam especificamente para debater as questões energéticas.

Guterres afirmou que 760 milhões de pessoas não possuem acesso à eletricidade. Ele disse ainda que 2,6 bilhões não têm energia limpa para cozinhar.

Bolsonaro afirmou que “o Brasil tem, de longe, uma das matrizes energéticas mais limpas entre as maiores economias do mundo”.

“Mais de 47% da nossa matriz energética e mais de 80% da nossa matriz elétrica são renováveis. Somos exemplo de transição energética, processo que, no Brasil, teve início nos anos 1970”, disse o presidente.

Essa foi a segunda aparição dele em um evento da ONU nesta semana. Na última terça-feira (21), Bolsonaro esteve presencialmente em Nova York, nos Estados Unidos, onde fez o discurso de abertura da Assembleia-Geral.

Desde então, Bolsonaro está no Palácio da Alvorada, residência oficial da Presidência, por recomendação da Agência Nacional de Vigilância Sanitária (Anvisa) após os ministros Marcelo Queiroga (Saúde), que estava com ele em Nova York, Bruno Bianco (AGU) e Tereza Cristina (Agricultura, Pecuária e Abastecimento) testarem positivo para Covid-19.

A participação do presidente no evento da ONU não constava na agenda oficial, que exibia a mensagem “sem compromissos oficiais” para esta sexta-feira até a publicação desta reportagem.

Todos os comentários são de responsabilidade dos seus autores.